INVESTIGAÇÃO COM ANIMAIS

Declaração de Posicionamento da NMS

A NOVA Medical School|Faculdade de Ciências Médicas (NMS|FCM) é signatária do Acordo de Transparência sobre a Investigação Animal em Portugal. Esta é uma iniciativa apoiada pela comunidade científica em colaboração com a European Animal Research Association (EARA) para promover transparência e abertura sobre o uso de animais na investigação biomédica pelo nosso país.

A investigação animal desempenha um papel essencial no conhecimento dos mecanismos biológicos que estão envolvidos em doenças e no desenvolvimento de tratamentos e novas terapias. Sem o recurso à experimentação animal na investigação biomédica a maioria dos medicamentos, antibióticos, vacinas e técnicas cirúrgicas que são aplicados na medicina humana e veterinária não existiriam.

Uma parte do trabalho científico desenvolvido na NMS|FCM e que contribui para o melhoramento da área biomédica é devido à utilização de animais na investigação. Nos nossos projetos científicos usamos modelos de roedores, mosca da fruta e peixe zebra para perceber as causas de várias patologias crónicas, desde a diabetes e cancro até a doenças autoimunes raras.

O bem-estar dos animais usados na investigação é uma questão fundamental e a investigação desenvolvida na nossa instituição respeita rigorosamente a norma Portuguesa (Decreto-lei nº113/2017, de 7 de agosto) e Europeia (Diretiva nº 63/2010/EU) que regulamentam o uso de animais na investigação.

O uso humano de animais na investigação realizada na NMS|FCM cumpre com os padrões legais e é revisto pelo Comité de Ética e Órgão responsável pelo bem-estar animal que promove o princípio dos 3 Rs (Substituição, Redução e Refinamento). Nenhum projeto de investigação que precise de usar animais inicia sem uma avaliação tanto do bem-estar animal como uma avaliação ética e ainda uma autorização da autoridade competente. É também assegurado que tanto as pessoas responsáveis pelo trato dos animais como os investigadores envolvidos na experimentação animal têm o treino e conhecimento necessário para realizar investigação com animais.

Ana Isabel Moura Santos

O Acordo de Transparência sobre Investigação Animal em Portugal é uma iniciativa proposta pela European Animal Research Association (EARA) em colaboração com a comunidade científica portuguesa para promover informações precisas e atualizadas sobre a utilização de animais na investigação fundamental e biomédica.

Em junho de 2018, 16 instituições portuguesas, incluindo Universidades e Centros de Investigação, assinaram uma declaração coordenada pela EARA e pela Sociedade Portuguesa de Ciências em Animais de Laboratório (SPCAL), sobre transparência e abertura em investigação com modelos animais. Na sequência desta declaração, foram tomadas medidas para a elaboração da atual proposta do Acordo de Transparência sobre Investigação Animal em Portugal. O objetivo deste Acordo é melhorar a compreensão e aceitação por parte do público português sobre a investigação com animais, promovendo a abertura e a transparência sobre este tema.

Esta iniciativa baseia-se em exemplos anteriores realizados na Europa como a Concordata sobre Abertura em Investigação Animal no Reino Unido lançada em 2014; o Acordo de Transparência sobre Investigação Animal na Espanha, lançado em 2016, e a Declaração em apoio à investigação com animais e uma abordagem transparente na Bélgica em 2016.

O Acordo compreende quatro Compromissos, cada um apoiado por medidas práticas que as instituições podem ou devem implementar. A forma como os Compromissos são cumpridos será diferente entre as instituições, dependendo do seu propósito, dos seus recursos e das suas diferentes obrigações legais.  Os compromissos são os seguintes:

  • Compromisso 1: Seremos claros sobre quando, como e porque usamos animais na investigação
  • Compromisso 2: Vamos melhorar a nossa comunicação com os media e com o público sobre a nossa investigação com animais
  • Compromisso 3: Seremos proativos em fornecer oportunidades para o público descobrir mais sobre investigação com animais
  • Compromisso 4: Vamos relatar o progresso relativo ao cumprimento deste acordo anualmente e partilhar as nossas experiências

Os signatários deste Acordo pretendem que as pessoas tenham acesso a um corpo abrangente de informação sobre investigação animal para que possam debater as questões relacionadas com esta temática a partir de uma posição de conhecimento e compreensão dos factos.  

Fazer o download do documento aqui

O Órgão Responsável pelo Bem-Estar dos Animais - ORBEA, da NOVA Medical School, é um órgão independente de natureza deliberativa, com o objetivo de garantir e promover o bem-estar dos animais gerados e utilizados na investigação ou ensino, nos termos da legislação em vigor, designadamente nos termos do regulamento Artigo 34.º do Decreto-Lei nº 113/2013, de 7 de agosto.

A actividade da ORBEA na NOVA Medical School desenvolve-se de acordo com os princípios legais aplicáveis, estabelecendo um conjunto de normas sobre procedimentos e orientações internas a observar na utilização de animais para fins científicos e educativos.

Os membros da ORBEA possuem competências científicas e técnicas alinhadas com a legislação em vigor e atuam de forma independente, permitindo-lhes o desempenho das funções que lhes são atribuídas. 

Os membros da ORBEA da NOVA Medical School são:

  • Presidente: Ana Isabel Moura Santos
  • Responsável pelo Biotério dos Roedores: José Belo
  • Responsável pelo Biotérios dos Peixes: Susana Lopes
  • Responsável pelo Bem-Estar dos Roedores: Sara Marques
  • Responsável pelo Bem-Estar dos Peixes: Petra Pintado
  • Veterinária Responsável pelos Roedores: Dolores Bonaparte
  • Veterinário Responsável pelos Peixes: Nuno Marques Pereira
  • Especialista em Estatística e Desenho Experimental: Sofia Azeredo Lopes

Responsáveis Científicos:

  • Investigadores usando Roedores: Gabriela Silva and Sílvia Conde
  • Investigadores usando Peixes: Mónica Roxo Rosa and Carolina Crespo
  • Representante da Sociedade Civil: Mário Rui Silva

Para a submissão online de um projeto de investigação para a ORBEA preencha o formulário.

Na NMS, quando não há outras alternativas, a investigação biomédica de várias áreas relevantes, por vezes são utilizados modelos animais.

Estamos fortemente comprometidos com as melhores práticas de bem-estar animal e seguimos os mais altos padrões regulatórios e princíos humanos. Os nossos investigadores esforçam-se por usar o mínimo número de animais possível e procuram ativamente técnicas para desenvolver os seus procedimentos de experiências. Veja aqui alguns exemplos de laboratórios e projetos de investigação com cinco modelos de animais que acolhemos:

Rato (Rat): Translational Pharmacology, Neuronal Control of Metabolic Disturbances
Rato (Mouse): Stem Cells and Development, DYSBRAIND: Dysmetabolism in Brain Diseases
Peixe zebra (zebra-fish): Tissue Repair and Inflammation, Cilia Regulation and Disease
Mosca da fruta (Fruit Fly): Integrative Biomedicine, Proliferation and Fate Regulation of Stem Cells
Embrião de galinha (chicken embryo): Tissue Repair and Inflammation

 

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. 

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.